FacebookTwitterLinkedInEmailPrint
Bico injetor aquecido

Por que os bicos injetores aquecidos são a solução do futuro?

on

Os dias do famoso “tanquinho” estão contados. Apesar de não ter sido totalmente extinto, o uso do reservatório auxiliar de gasolina, que ajuda na partida dos modelos flex, em temperaturas em torno de 15°C ou mais baixas, está cada vez menor.

Desde 2012, a Delphi Technologies já oferece a solução para eliminar o "tanquinho" e garantir uma partida sem preocupações, independentemente do frio que estiver lá fora. Hoje, vamos falar sobre os injetores de combustível aquecidos. 

Para que serve o reservatório auxiliar?

O reservatório auxiliar de gasolina é um velho conhecido dos motoristas e mecânicos no Brasil, em especial no outono e inverno, nas regiões Sul e Sudeste.

Em veículos com motores flex, o conhecido “tanquinho” é usado para ajudar na partida do motor, abastecido com etanol, em temperaturas por volta de 15°C ou mais baixas. Isso ocorre porque a combustão do etanol é mais difícil em baixas temperaturas, pois só produz vapores acima dos 12°C. 

Nos modelos nacionais, o reservatório auxiliar é uma alternativa conhecida, e ainda muito utilizada. Porém, pode deixar muitos motoristas na mão, se não for feita sua manutenção. Um dos principais cuidados é lembrar de manter o tanquinho sempre abastecido.

Os bicos injetores aquecidos

Os bicos injetores aquecidos da Delphi Technologies foram desenvolvidos, e estão disponíveis para produção em escala, para equipar os veículos brasileiros, desde 2012. 

O aquecimento do combustível, para que seja possível a partida do veículo, acontece a partir do aquecimento das paredes dos bicos injetores, fazendo com que ele se vaporize e permita combustões robustas, garantindo a partida do motor e a dirigibilidade estável.

A determinação do aquecimento de combustível é feita pelo módulo eletrônico de gerenciamento do motor (ECU), junto com o módulo eletrônico de controle dos bicos injetores aquecidos, que trocam informações pelas redes de comunicação disponíveis no veículo (Ex.: CAN, LIN).

Bico injetor aquecido x reservatório auxiliar

O bico injetor aquecido é uma solução prática, pois dispensa a manutenção preventiva. Além disso, o aquecimento do combustível pode acontecer antes, durante e depois da partida do motor, dependendo das condições do ambiente e do veículo, o que impacta em economia de combustível e redução na emissão de poluentes. 

Os bicos injetores aquecidos da Delphi trazem uma vantagem em relação às outras tecnologias disponíveis no mercado. O combustível é aquecido (ou vaporizado) desde as primeiras injeções, devido a seus aspectos construtivos elaborados. 

O aquecimento ocorre na parte inferior do bico, onde está o combustível que será injetado, não demandando a eliminação do combustível frio, antes que o quente possa ser disponibilizado pela parte superior do injetor, ou mesmo da galeria/flauta de combustível, como ocorre em alguns casos.

E quais os cuidados com os bicos injetores aquecidos?

Os bicos injetores aquecidos não necessitam de manutenção, a não ser diante do funcionamento irregular do motor. 

No sistema de aquecimento do combustível, o módulo controla o aquecimento dos injetores e identifica falhas, individualmente. Ou seja, se houver problema em um dos injetores, os outros continuam funcionando normalmente. Além disso, uma luz específica acende no painel, alertando o motorista de que há algo errado no sistema.

Legislação de emissões

As futuras legislações de emissões estão entre as principais demandas da engenharia automotiva, portanto, são prioridade da Delphi. 

As legislações de emissões Proconve L7 e Proconve L8, previstas para entrarem em vigência em 2022 e 2025, respectivamente, determinam a redução significativa do etanol que não é queimado durante a combustão do motor, em especial para a partida do veículo em baixas temperaturas. 
 

Related Resources